Problogging é certo ?

Por Gilberto Jr, dia 20/02/07.

Há algumas semanas rolou uma discussão na nossa pequena (?) blogosfera sobre problogging. É uma discussão recorrente: Blogar por dinheiro é certo? É errado? Sua mãe deixa? Escondido é mais gostoso?

O blog URLs sinistras fez uma interessante série de entrevistas sobre o assunto. O Cardoso curiosamente não foi entrevistado, mas vale ler o que ele pensa sobre isso.

Eu, que não sou um blogueiro famoso o suficiente pra ser entrevistado (eu chego lá :), quero dar também meus dois merréis sobre o assunto:

O que há de diferente no problogger ?

Minha primeira indagação é a seguinte: Se as pessoas ganham dinheiro com o que escrevem a séculos, qual é a diferença entre este ofício em outras mídias e em um blog? Fazer design me dá prazer, e é maravilhoso quando eu posso fazer uma interface só por prazer (como a deste blog por exemplo), mas por causa disso é errado ou reprovável ganhar dinheiro fazendo design?

Há séculos os jornais (com raras exceções que confirmam a regra) só publicam aquilo que vende. A diferença é que desde pouquíssimo tempo, é possível publicar textos e ser lido por milhares de pessoas sem gastar nenhum tostão. Antes da internet não era possível, você teria que implorar para ser publicado por um jornal ou revista ou para seu livro entrar em uma editora. Agora a internet tornou grátis, fácil e rápido o trabalho de publicar. Isso tornou possível o advento dos blogs, de pessoas escrevendo conteúdos muito interessantes só por prazer, sem precisar ganhar dinheiro - porque não há custo a ser pago.

Se não é errado vender jornal, mesmo que sua maior receita venha de publicidade, porque é errado ganhar dinheiro publicando conteúdo que é acessado de graça? Só porque outras pessoas não precisam ganhar dinheiro com isso?

O desafio também é gostoso.

Eu entendo que dinheiro é energia. Energia de realização. Com dinheiro pode-se realizar coisas, ir a lugares, melhorar a sua vida e a dos outros, etc. Gerar dinheiro, independentemente do meio (claro, falo só dos meios legais), é por sí só algo maravilhoso.

No começo da minha carreira, quando eu não estava fazendo design por trabalho, estava fazendo por prazer. Eu adoro o que faço. Acontece que eu também ganho dinheiro com o que faço. O simples desafio de ganhar mais dinheiro através de um blog profissional, buscando meios de otimizar as ferramentas, de escrever aquilo e do modo que dê mais dinheiro, é algo por sí só muito interessante e muito diferente da pessoa que só quer escrever e ser lida (como eu, por exemplo).

Mas sem sacanagem.

A única coisa que penso que é errada é enganar o usuário, seja do modo que for, para aumentar sua receita. E isso é uma prática errada, mas que não é característica da maioria dos probloggers - porque a longo prazo é um tiro no pé.

Fazer SEO-mau, ou SEO-spam, aliás, qualquer tipo de spam; títulos que não correspondem ao conteúdo; propaganda não identificada como tal; enfim, tudo aquilo que é feito para enganar ou agir de má fé contra os usuários e leitores com fim de aumentar os ganhos, é errado.

Mas eu realmente não penso que seja nem um pouco errado ganhar dinheiro produzindo conteúdo interessante - mesmo que seja o assunto “hype” da semana, a final é isso que as pessoas querem ler mesmo.

[+ Outrolado]

Postagens relacionadas


21 respostas para 'Problogging é certo ?'

  1. poucoimporta Diz:

    “Eu, que não sou um blogueiro famoso o suficiente pra ser entrevistado (eu chego lá :)”

    fama? blah! se preocupa com o conteudo que essas coisas (fama, adsenseclicks, visitas, inimigos) aparecem sem vc perceber.

    Siga o bom exemplo deste texto aqui, continue assim ;)
    ———-

    é, eu sei, não comentei sobre o seu artigo, mas é pq estou escrevendo algo sobre o mesmo assunto, depois mostro cá! ;)

  2. Fábio Caparica de Luna Diz:

    Olá!

    a) Cardoso não foi entrevistado pq não faz sentido perguntar coisas que ele já diz - com boa taxa de repetição - em seu próprio blog. A motivação dele para blogar, é (o Lucro) óbvia. Não há ‘curiosidade’ alguma sobre ele não ter sido entrevistado.

    Outros dois “Pró-Bloggers” (Inclusive o mais reconhecido na mídia tradicional), que na minha opinião são mais relevantes no contexto em que fiz as entrevistas, foram entrevistados. E em suas entrevistas deram os seus posicionamentos sobre a questão da motivação para se ter um blog, e também sobre a questão da ânsia em se obter ROI a qualquer custo.

    b) Como já coloquei em diversas ocasiões sobre este assunto:
    Não há nada de reprovável em se ganhar dinheiro. Desde que seja de forma ética e honesta. Desde que a postura e o discurso sejam autênticos e não possibilitem duvidar das intenções do autor de um blog ou do conteúdo.

    Isto está menos resumido num comentário que fiz em uma réplica ao meu post original:
    http://sinistras.aranha.com.br/2007/02/motivacoes-dos-blogueiros/#comment-26

    c) O questionamento que eu lancei, foi justamente sobre a questão da credibilidade em face do perceptível direcionamento que se faz em busca do Click, em busca do “Paraquedista”, etc. Ao que me pareceu, a maior parte dos “descontentes” quanto a estes questionamentos, aparentemente está no grupo dos que estão nisto pelo Lucro e acha que não se deve mexer no “modelo de negócio”. :-)

    Um pouco sobre Mexer no Queijo alheio:
    http://sinistras.aranha.com.br/2007/02/repercutiu/

    Em tempo, é bastante falso afirmar que não há custo em se manter um blog. Há, no mínimo, o tempo dedicado a redação e publicação… Ainda que se desconsiderem custos de hospedagem, conexão, luz, etc.

    Ps.:
    Ainda sobre o posicionamento do Cardoso sobre todo o assunto, fica o link pro Carreira Solo onde o tema foi abordado (tanto no post, quanto nos comentários).

    http://www.carreirasolo.org/archives/se_o_adsense_e_inevi.html

    abraços.

  3. Gilberto Jr Diz:

    Oi Fábio,

    Muito obrigado pela resposta à minha postagem.

    Então concordamos em um ponto: não há nada de errado em se ganhar dinheiro blogando, desde que não seja com pilantragens. Ganhar dinheiro blogando é ótimo, a qualquer custo é péssimo.

    E discordamos em um ponto: eu não vejo nenhum problema em abordar temas hype, sobre os quais as pessoas estão interessadas. Os jornais e revistas fazem isso todas as semanas e com o objetivo claro de vender e ganhar mais dinheiro.

    Pode até ser que um blogueiro perca credibilidade ou a fidelidade dos leitores, mas se o foco dele é mesmo os paraquedistas, não vejo nada de errado nisso - só não serei também um leitor de um blog ruim, assim como você.

    Sobre o custo de se ter um blog, eu me refiro a custos operacionais, sem contar o próprio tempo gasto e outros gastos que você teria mesmo que não fosse um blogueiro (internet, luz, etc). Hospedagem você não precisa pagar, basta usar o blogspot ou wordpress.com. Assim, continuo pensando que não há necessariamente nenhum custo financeiro específico para a criação e manutenção de um blog.

    Outra coisa que não ficou clara: eu mencionei sua postagem, as entrevistas e a postagem do Cardoso só para mostrar que realmente esta é uma questão que está sendo discutida. Esta não é uma postagem em resposta direta à sua postagem, mas ao assunto como um todo, que venho acompanhando e sobre o qual eu venho pensando há bastante tempo. Eu acompanho vários blogs sobre problogging em inglês que também discutem o assunto.

    Mais uma vez, valew pela resposta :)

    Abraço,
    Gilberto Jr

  4. Fábio Caparica de Luna Diz:

    Olá novamente…

    Custos são (foram e continuarão sendo) custos. Não dá pra ‘olhar pro outro lado’… Sabemos que “não existe almoço grátis”… Mas se vc prefere continuar crendo que ‘não há custos’, ok.

    ( Mas há! :P )

    Sim…
    Discordando mesmo no outro ponto:

    Não tenho nada contra abordar os Hypes… Não tenho nada ‘contra’. Só que tb não terei absolutamente nada ‘a favor’. Exatamente como coloquei num dos links agora a pouco.

    Se um blogueiro bota algo no ar e demonstra que quer trocar idéias com quem o visita, não importa se o assunto é Hype (e naturalmente efêmero, com validade/utilidade limitada pelo tempo) ou não. Pouco importa…

    Se ‘o conjunto da obra’ levar a crer (ou mesmo desconfiar) que é tudo um grande ‘pote de mel’ pra atrair clicks e paraquedistas… Perdeu a graça TOTAL. Vc pode não ver problemas. Mas eu vejo… Pra mim, além de uma grande picaretagem, é o mal uso (perverter) do SEO, é mais uma forma de prostituição.

    Dentro das entrevistas que fiz, se percebe claramente esta faceta da questão da busca insistente/desenfreda pelo Lucro e o que isto tem de impacto na credibilidade de quem mantém um blog.

    Não é pq Jornais e Revistas fazem estas tretas a centos anos que isto deixa de ser eticamente/moralmente questionável. Comparar blogs e jornais/revistas, principalmente neste aspecto da monetização, é meio absurdo pra mim. Blogs, não são jornais/revistas a final de contas.

    E convenhamos:
    Pra onde vai todo o discurso de que ‘o diferencial’ dos blogs é a autenticidade de discurso e conteúdo? Que fazer quando a necessidade de monetizar (Podes clicar aqui no AdSense, faz favor!?) supera o respeito para com a audiência?

    Lembra do causo do blogueiro que resolveu matar os Feeds de seu blog ’só pq’ não tinha ninguém clicando nos adsenses dele? Poisé… Chegamos neste nível.

    Nada contra quem faz ‘a coisa’ profissionalmente, mas quando alguém não faz ‘a coisa’ por/com amor, não rola o mesmo sentimento do lado de quem lê. E sem sentimento - lamento - não tem longevidade…

    E é neste aspecto que dou mais valor aos Amadores que aos Profissionais. Neste aspecto que tb dou mais valor aos Profissionais que fazem “com Amor”.

    :D

  5. Gilberto Jr Diz:

    Fábio,

    Continuo pensando que blogar só pelo dinheiro não é mau, desde que não se engane o usuário. Escrever somente para paraquedistas é um foco diferente, mas não pior, que o do blogueiro cujo foco são seus leitores fiéis.

    Você está julgando os blogueiros que escrevem para paraquedistas com os critérios de quem escreve para leitores fiéis. Não vejo nada de errado em se blogar exclusivamente para ganhar dinheiro. O blogueiro que faz isso pode até perder a credibilidade com você, mas ele não busca credibilidade, ele busca dinheiro. Se o modo de ganhar mais dinheiro - a longo prazo - for deixando de lado o SEO-mau e cultivando um público fiel de leitores, o problogger esperto fará assim.

    Acho que TUDO - o cobrador do ônibus, a faxineira, o diretor da empresa, o presidente do time de futebol - deve ser feito com amor. O que é feito sem amor geralmente é mal feito e é um peso para quem faz. Mas o amor do problogger está no desafio de ganhar mais dinheiro, não (somente) de cultivar uma comunidade de leitores fiéis. E este é um trabalho que você pode ter certeza que ele faz com muito amor.

    Eu posso até não gostar de blogs assim, mas não é porque não gosto que vou dizer que é errado.

    Creio - correndo o risco de ser maniqueista - que devemos separar os probloggers em dois grupos: os maliciosos, que enganam o usuário para ganhar mais; e os corretos, que escrevem conteúdo e ganham dinheiro com propaganda corretamente identificada como tal.

    Penso que os primeiros estão errados. Os segundos, seja qual for seu conteúdo, seja qual for seu público, não estão errados, porque não estão enganando o usuário.

  6. Sergio F. Lima Diz:

    Olá Gilberto e Caparica!

    Se tem uma coisa que eu aprecio na blogosfera, são as conversações! Esta entrada é um exemplo de que o debate pode ser qualificado, baseado em argumentos e não em adjetivos! (E isso é o que há de melhor nos bogues!)

    Eu não sou o google, por isso não sei o que as pessoas estão dizendo, mas percebo que este discurso anti-blogueiro-profissional é coisa de uns 6 meses atras!

    Quem sempre quem re-esquenta esta discussão são os blogueiros profissionais! O que muita gente questiona (hoje) é este mau uso das técncas de SEO, o título pega paraquedistas! A artificialidade do texto para seguir regras que levem o blogue ao sucesso e etc…

    Mas tenho que concordar com o argumento de que blogues não vivem num mundo paralelo! Assim todas as coisa que *eu* não gosto nas mídias tradicionais vão continuar a existir nos blogues! Quer gostemos ou não!

    O que podemos fazer é filtrar o “lixo cultural” advindo destas práticas e ficar com o filé-mignon.

    Os pragmáticos dirão que somos petralha, mas concordo com o Caparica, pode ser feito por dinheiro ou por qualquer outro motivo, mas o importante é que seja visceral, autêntico ou se preferir “com amor”

    A vida é curta e existe super-dosagem de informação, então *eu* vou se empre preferir aquilo que não me soa artificial!

    Mas a ecologia dos blogues (ainda que seja pequena!) sempre terá espaço para todos! E é disso que ue gosto mais; A diferença!

    PS: Desculpe o comentário enorme!

  7. Paulo Bicarato Diz:

    Car@s,

    Já venho falando nisso há algum tempinho — na verdade, há alguns anos. A quem interessar, seguem meus dois centavos sobre o tema:

    http://www.alfarrabio.org/index.php?itemid=854

    http://www.alfarrabio.org/index.php?itemid=370

    Abraçãos a tod@s :-)

  8. Gilberto Jr Diz:

    “mas o importante é que seja visceral, autêntico ou se preferir “com amor””

    Oi Sérgio, também acho isso importante, mas se alguém fizer um blog que não é visceral, autêntico (nem todo mundo tem talento para tanto - eu mesmo não sou nem visceral nem autêntico neste blog, sou mais um), não é errado. É só diferente.

  9. Fábio Caparica de Luna Diz:

    Indo ler Bicarato…
    Já estou indo!

    Sobre o “Visceral”, o “talento” (Sic!!) e principalmente sobre o ser mais um.

    Francamente, acho que você está colocando uma ar místico numa coisa que não tem nada disso. Não seja ’só mais um’ achando que é ‘apenas mais um’ na multidão. Lembre: Você é a unica pessoa que pode ser você… E neste lance de ser você mesmo, ninguém há de conseguir ser mais visceral e/ou autêntico que você.

    Aí onde reside todo o charme da coisa… Nada a ver com esta lenda urbana chamada “talento”.

  10. Gilberto Jr Diz:

    Fábio, é que pra mim visceral e autêntico é dostoievski, shakespeare, glauber rocha, joão gilberto… Por isso penso que eu, e a maioria dos blogueiros mortais não podemos ser viscerais, e que isso não é necessário. Temos concepções muito diferentes do que é um texto viceral :)

  11. Conversando sobre problogging. » Prática Diz:

    […] gasto mais tempo nos comentários da postagem sobre problogging do que geralmente gasto para fazer novas postagens, por isso recomendo a leitura e a participação […]

  12. Dirceu Diz:

    Curioso Gilberto, estou lendo “O jogador” de um autor que você citou acima.

    Eu gostaria de comentar esse post pois tem a ver com um papo sobre mais-valia… ou não.

    Bom,
    Ganhar dinheiro não é pecado desde que a igreja viu que isso a faria mais rica.
    Ganhar dinheiro sendo ético, é ético.
    Ganhar dinheiro repassando conhecimento ou risos para outras pessoas é uma coisa legal.

    Agora sinceramente, não entendi a lógica de tudo isso, de todos esses grandes comentários.

    Sério, de quem o “problogger” está ganhando dinheiro?
    Não é quem está lendo.

    Quem lê não está pagando, está somente ganhando conhecimento ou gargalhadas.
    É igual os tabloides gratuitos, igual existe aqui em Londrina, onde eles não cobram pela distribuição do Jornal.

    E eu achando que era jornal pago por algum político resolvi escrever um e-mail sobre isso para eles, e o texto saiu no jornal. Assim como outros já 4 textos subversivos meus.
    (Sem Adsense ;/)

    Não paguei nem ganhei nada por difundir conhecimento, e se tivesse ganho não seria difundindo besteiras e cultura norte-americana igual a teve.

    E propagandas “esperando um click” que tem nas ruas… você as vê e não ganhar nada com isso…

    Pode ter ficado meio confuso tudo que escrevi, mas em essência quer dizer que é certo.

  13. Gilberto Jr Diz:

    Oi Dirceu,

    Este é o meu ponto: ser problogger só é antiético quando o cara age de má fé contra o usuário. Fora isso, pode escrever para paraquedistas, para mariners, fazer SEO, falar do hype, do menino que morreu, dos mamonas assassinas, do que quiser, que - embora eu não goste - não é errado.

  14. Fábio Sousa Diz:

    Acompanho de perto esse questionamento sobre a atitude moniteísta dos ditos Probloggers. Creio que o principal problema seja mais profundo do que podemos imaginar.

    Para o Gilberto, ganhar dinheiro com um blog é correto, desde que seja ético. Para o Caparica é errado subverter seu próprio veículo de comunicação em prol dos dólares estrangeiros. Ainda há quem acredite que se você faz algo por prazer, (pasmem!) você não deveria ganhar dinheiro com isso. Quem está certo? Quem está errado? Ninguém e todo mundo.

    Citando Cacilda Becker*: “Não me peça de graça a única coisa que tenho pra vender” - se uma pessoa gosta do que faz, seja falar sobre design livre (meu caso) ou as últimas novidades do mundo da fofoca, ele pode e deve se sustentar com isso (ainda não é o meu caso).

    Se o blogger faz uma ação direta de captação de recursos (como Adsense) ou indireta (faz palestras, dá aulas, vende camisas) ele o faz (ou deveria) porque é um trabalho como qualquer outro. Pense no seguinte: será que é justo ficar sem salário no final do mês, justamente porque o seu chefe acredita que aquilo que é feito com prazer não precisa ser cobrado? Se for assim, todos os empregados deveriam chutar o balde, grunhir e esbravejar o tempo todo.

    Eu sigo a filosofia (oriental, se eu não me engano) de que tudo precisa ser feito com amor, pois tudo que será conquistado com isso terá um sabor diferente - e o dinheiro é uma delas, afinal quem vive de brisa é desenvolvedor de software livre (risos).

    Acredito que todo mundo deva receber por aquilo que trabalha, seja lavando pratos, dirigindo uma mega empresa, desenhando ou fazendo um bom blog. Dinheiro é necessário e merecido. Todo bom trabalho merece ser recompensado, só não devemos submeter o nosso trabalho para ganhar dinheiro enganando os outros.

    Abraços!

    *Fonte: http://blog.hiro.art.br/2006/12/31/por-que-nao-desenhar-de-graca/

  15. Fábio Caparica de Luna Diz:

    Sobre “dostoievski, shakespeare, glauber rocha, joão gilberto” e sobre “concepções muito diferentes” do que é Visceral.

    Gilberto…
    Desculpe. Mas realmente não tem nem muita margem pra diálogo neste ponto. Visceral (pertencente às vísceras), vem de dentro… Não precisa ser imortal de qualquer academia ou mesmo ilustre pra ser autêntico.

    Queres botar ar místico, sacro-santo na atividade… Então vai na fé. Pra mim, de Babau do Pandeiro até Gentileza, são tão viscerais quanto quem faz uma busca no Google pra sanar uma necessidade autêntica.

  16. Fábio Caparica de Luna Diz:

    Sobre o “embora eu não goste - não é errado”…

    Sinceramente ok?

    Pra mim - toda esta coisa de SEO Descarado e afins - é tão errado quanto jogar lixo na rua. Pura poluição do meio ambiênte. Estraga a paisagem e ainda termina entupindo as galerias e provocando inundações no final do período.

    Mas tem gente (publicitários, por exemplo) que adoram um panfletinho A5.

  17. Gilberto Jr Diz:

    Fábio Sousa disse:
    “Citando Cacilda Becker*: “Não me peça de graça a única coisa que tenho pra vender” - se uma pessoa gosta do que faz, seja falar sobre design livre (meu caso) ou as últimas novidades do mundo da fofoca, ele pode e deve se sustentar com isso (ainda não é o meu caso).”

    Oi Fábio,

    Citando Caetano Veloso: VIVA CACILDA BECKER!!! VIVA CACILDA BECKER!!! VIVA CACILDA BECKER!!!

  18. Ignorante Diz:

    Era só o que faltava, patrulha ideológica nos blogs! Esse Fábio Caparica quer escolher o que pode ou não pode, é de bom tom ou é lixo. Meu caro, revolução cultural chinesa tá fora de moda. E não entendo essa implicância com o Cardoso, só por que ele quer ganhar dinheiro? Vai ler um pouco de Max Webber que vai te fazer bem.

  19. Fábio Caparica de Luna Diz:

    :D

  20. Gilberto Jr Diz:

    Ignorante, o Fábio não é tema desta postagem, se você tiver algo pessoal a dizer a ele, envie um e-mail diretamente, por favor.

  21. Urls Sinistras » Blog Archive » Motivação dos Blogueiros 2? Diz:

    […] Ps.:Sim, o assunto ainda continua rendendo. […]

Deixe seu Comentário