Cardoso x Renê de Paula | Como gerenciar comunidades online?

Eu respeito muito o Renê de Paula, moderador da lista Radinho, pelo seu conhecimento sobre administração de comunidades online. Até citei ele aqui, com a frase: “Um bom moderador saberá enaltecer com discrição comportamentos exemplares, e desestimular ações negativas”

Acontece que, na boa intenção de “desestimular ações negativas”, ele topou com o Cardoso, do blog Contraditorium. Cardoso, pra quem não conhece, é um blogueiro com uma personalidade forte e um humor ácido, sarcástico, irônico, que em momentos de grande inspiração chega a lembrar o Dr. House.

Aí começa o problema.

Como é que podemos determinar o que são “ações negativas” sem conhecer a pessoa com a qual estamos lidando? No caso do Cardoso, quem o conhece sabe que ele adora uma polêmica (até porque, dá ibope), mas sabendo deste seu histórico em outras listas e comparando com as suas mensagens no radinho, ele até que foi muito bem educado lá. Eu pelo menos não vi uma só mensagem que fosse “negativa”.

Mesmo assim, por conta de querelas privadas entre os dois, ele foi expulso da lista.

Renê alegou que o expulsou por medo, e por não estar preparado para lidar com uma pessoa como ele, mas não disse medo de que. Como na dúvida, geralmente, ficamos pensando o pior das pessoas, Cardoso usou seu blog para um direito de resposta.

Até agora eu não entendi muito bem o que aconteceu.

Ficam aqui algumas perguntas:

O que o Cardoso fez para pôr tanto medo no Renê, a ponto de ser expulso?

Como é que alguém, sozinho, pode discernir “comportamentos exemplares” de “ações negativas” numa comunidade online, sem deixar um monte de gente chateada?

Até que ponto uma comunidade online é do dono ou de seus membros?

O que os mil e tantos assinantes do radinho ficaram pensando do caso?

O que você faria se estivesse no lugar do Cardoso? E no do Renê?

Eu, sinceramente, não faço a menor idéia.

Postagens relacionadas


10 respostas para 'Cardoso x Renê de Paula | Como gerenciar comunidades online?'

  1. Henrique Diz:

    É a famosa máxima: quem fala o que quer, escuta o que não quer.

    O Cardoso, como está acostumado a escrever de forma sarcástica e emitir sua opinião sempre dentro de “sua casa” (seus blogs), ao fazer o mesmo em locais públicos, irá sempre sofrer. É como ir para o trabalho e ficar fazendo piada do chefe. Ninguém é obrigado a te aturar.

    Aí o que acontece é isso. Interessante que, quando se trata da “blogosfera” (nunca entendi direito esse termo), vira algo chocante. Mas qualquer um que participa de listas de discussão (eu mesmo participo de várias, sobre programação, e internacionais), sabe que a posição do Cardoso é a do famoso “troll”. E esses nunca são bem vindos entre pessoas que não querem perder seu tempo. No entanto, o fato do Cardoso ser um “troll” é exatamente o que faz ele ser um sucesso.

  2. Gilberto Jr Diz:

    Henrique, Concordo que o Cardoso geralmente seja meio Troll nas listas. Na lista “blogosfera” principalmente. Mas no radinho eu não vi nem uma mensagem/atitude troll.

  3. Thássius Diz:

    Talvez estejam tentando evitar problemas que provavelmente ocorrerão no futuro.

  4. Rodrigo Prior Diz:

    Respeito muito o Cardoso na figura de um problogger e muitas vezes admiro o trabalho feito por ele.

    Já percebi que várias vezes, na falta de argumentos factíveis, ele procura reverter situações de formas as quais lhe convém, porém, nem sempre apresentando argumentos sólidos.

    Talvez a resposta, pelo simples direito a ela, porém não acrescentando nada à discussão seja uma prática questionável.

    Não condeno a atividade dos probloggers mas, na Blogsfera brasileira, já percebemos sérios sinais de “cansaço” por parte de alguns que visivelmente acabam escrevendo apenas para garantir seu pé de meia com AdSense e outros, sem acrescentar nada de produtivo às discussões (objetivo o qual acredito que deveria ser o dos Blogs).

    Enfim, cada um sabe onde quer chegar e corre atrás do seu “como”.

    Abraços,
    Rodrigo.

  5. Henderson Bariani Diz:

    Eu também teria expulsado o Cardoso, sem dó nem piedade. O objetivo dele é somente a polêmica pela polêmica, para realçar a própria imagem de “contestador”. Álias, ele deve estar adorando essa repercussão em mais uma polêmica que ele mesmo gera, só para atraiar a atenção sobre si.

  6. Pablo Pamplona Diz:

    Pode ser ingenuidade minha, mas não vejo nada disso no Cardoso. Não o vejo como um polêmico, alguém que goste de aparecer, troll, nada disso - mas como um realista. Ele simplesmente expõe o que pensa, sem censuras, independente de onde está.

    Pra mim, comunidades online não devem haver nenhum tipo de “censura”, ou hierarquia, o que quer que seja. O criador da comunidade, no meu ideal, deveria confiar em quem participa, e deixar que eles se decidam, tomem suas próprias rédeas. Comunidades inteligentes não se deixariam levar por insultos, nem trolls; a questão é simplesmente ignorar o que se deve ignorar. Os participantes do Radinho têm cabeça suficiente, pra decidirem por si mesmos, o que fazem do Cardoso - se o ignoram, ou não. Mas… uma pessoa o expulsar, por questão pessoal? …Por “medo”?

    Concordo que as “tags” que o Cardoso passou a usar em suas mensagens soavam irônicas (causa aparente da discussão), que ele parecia subestimar os radianos… mas não é razão pra expulsar da lista. Bem… essa é a minha opinião.

  7. Stéfano Diz:

    Eu sou fã do estilo do Cardoso e acompanho mais suas matérias do MeioBit. Não acho que ele queira ser sensacionalista, creio que seja algo inato dele ^^. Ele comenta com sarcasmo e um humor dirscordiano. Isso é excelente!

    Sou contra qualquer tipo de repressão infundada.

    “Thássius Diz:
    19/07/07 às 14:56

    Talvez estejam tentando evitar problemas que provavelmente ocorrerão no futuro.”

    Mesmo que essa seja a razão, seria como bombardear um país por ameaça de armas de destruição em massa sem saber que lá só tem pessoas e areia.

    E sobre a ironia..
    Que ironia?
    Não vi ironia em lugar nenhum não ;)

  8. Rodrigo Diz:

    Não ví nada demais nas palavras do Cardoso.. esse Renê é que leu as entrelinhas e se sentiu profundamente ofendido. Mas siceramente ele não escreveu nada demais.

    Eu concordo que o Cardoso é um fanboy pé no saco e chato quando fala de tecnologia MS, Linux e etc. Mas dessa vez ele não escreveu nada demais e ninguem na lista reclamou só o tal do Renê que precisa urgentemente de um tratamento psiquiatrico.

  9. rene de paula jr Diz:

    carissimos, um aparte: um ambiente social ou comunidade é como uma festa. se você chega sem saber do que se trata, é normal que você preste atenção no ambiente, nas pessoas, tente entender qual a etiqueta e qual o perfil dos convidados. isso é uma questão de civilidade, de sensibilidade, de sabedoria. chegar “chegando’ numa comunidade (ou festa), impondo seu próprio estilo e tom, não é de bom-tom, não pode dar certo nunca. e foi o que o rapaz fez e parece primar por fazer. foi isso, só: completa falta de tato e urbanidade.

    se vocês quiserem se basear naquele relato dele, fiquem à vontade. se quiserem participar do nosso ambiente, sejam bem-vindos, eu aprendo sempre.

  10. Stéfano Diz:

    Renê,
    eu entendo seu lado e seu ponto de vista mas ao meu ver, você quis que todos os convidados da festa
    tenham o mesmo perfil. Creio que a grande vantagem da Web é conhecer diferentes pessoas com perfis dos mais variados a respeito de vários assuntos, ou não é?
    Concordo que o temperamento “ácido” do Cardoso é gerador de controvérsias, mas sem pessoas que joguem lenha na fogueira não haveria discussão :P

    Não tome minha opinião como uma crítica contra você, admiro muito seu trabalho também, mas defendo a liberdade de expressão e de cada um ser o que é.

Deixe seu Comentário